sábado, 2 de fevereiro de 2008

Pela redução da jornada de trabalho

As centrais sindicais brasileiras iniciaram no final de janeiro mobilização pela redução da jornada de trabalho sem redução da remuneração. Elas tentarão trazer o assunto ao debate político por meio do recolhimento de assinaturas, o que servirá para dar início ao debate dessa possível alteração constitucional.

Contarão com o meu apoio, já que considero fundamental que as pessoas tenham, além do emprego e do acesso aos serviços básicos do Estado, uma boa qualidade de vida. O pai e a mãe têm que ter tempo de estar ao lado das suas famílias. Trabalhar o dia inteiro para ganhar 400 reais e não poder dedicar tempo ao lar é um fator que desestrutura toda a base familiar e acaba com a individualidade das pessoas. No pouco tempo livre que a pessoa possui, ou ela dá atenção aos filhos, ao marido/esposa, ou a si mesma. Acaba se deixando de lado, e com isso sua vaidade, seu desenvolvimento pessoal e sua auto-estima vão por água abaixo, o que repercutirá no seu relacionamento com os filhos e companheiro(a).

Um comentário:

QUEM AMA A VIDA, CURTE POESIA. QUE TAL UMA POR DIA? Por Nany Siog disse...

Oi Alex,

Totalmente louvavél, inteligente e cristã essa posição. Levando em conta que a família é a base de toda a sociedade. Estou com você.
Agora, acho de suma importância a avaliação da situação dos empresários em nosso país, onde temos uma das maiores cargas tributárias do mundo. O que praticamente força o pagamento de baixos salários.
Enquanto isso, o governo gasta mal, fiscaliza mal e arrecada mal: ao invés de pouco de muitos, muito de poucos.
Há de se pensar nos três lados envolvidos: trabalhador, empresa, governo.
Somos uma engrenagem, ao enguiçar uma peça, paraliza-se todo o processo.